Links Úteis
Confidencial

Subscrever Newsletter

Internacional

Na tomada de posse dos membros do Governo

Guiné-Bissau: Serifo Nhamadjo pede esclarecimentos sobre caso de 17 de Outubro

Bissau - O Presidente de Transição pediu esclarecimentos sobre o caso de 17 de Outubro, que culminou com as mortes de Viriato Rodrigues Pam, Paulo Correia e outras individualidades, nos anos 80.

Manuel Serifo Nhamadjo falou, esta quarta-feira, 23 de Maio, na cerimónia de tomada de posse dos membros do seu Governo, na qual estiveram ausentes três dos 28 deste Executivo, nomeadamente o ministro da Economia, o ministro das Finanças e o secretário de Estado do Tesouro, Assuntos Fiscais e das Contas Públicas.

O Presidente de Transição justificou a sua posição nas exigências da sociedade guineense e da comunidade internacional, com a necessidade imperativa de resolução definitiva dos casos das mortes registadas no país até Março de 2009 e eventual condução dos seus responsáveis à justiça.

Neste sentido, Serifo Nhamadjo defendeu, uma vez mais, o factor justiça como via para que os guineenses reencontrem do caminho de reconciliação, de paz e de desenvolvimento nacional.

No aspecto financeiro, Serifo Nhamadjo disse que vai estar atento à actuação do seu Governo, de modo a «não permitir» desperdícios orçamentais que possam pôr em causa os objectivos e o período de transição fixado pela CEDEAO.

Em relação à governação, Serifo Nhamadjo voltou a pedir uma auditoria internacional ao Governo derrubado pelo golpe, um regime do qual ele próprio fazia parte.

Atendendo às dificuldades económicas que enfrenta o mundo, o Presidente determinou que sejam reduzidos, em 50%, os subsídios atribuídos aos titulares de cargos públicos e equiparados.

Sobre a promessa de atribuir 30% de pastas às mulheres, o que não se verificou, Serifo Nhamadjo justificou o facto com as querelas políticas durante o período de formação do Governo.

Embora se trate de um Executivo isolado praticamente a nível internacional, Serifo Nhamadjo convidou a comunidade internacional procurando, desta forma, apoios e legitimação das autoridades de transição junto da comunidade internacional.

Sumba Nansil

(c) PNN Portuguese News Network

2012-05-24 16:21:25

MAIS ARTIGOS...
  Biague Na N´tan anuncia fim da «turbulência militar» na Guiné-Bissau
  Cabo Verde: ARE realiza consultoria sobre sistema de informação regulatória
  FAO: Brasil regista queda de 75% na extrema pobreza
  Cabo Verde: PR desperta para situações de pobreza extrema e miséria
  Nigéria: Derrocada de igreja causou 70 mortos
  Catástrofes naturais causaram 22 milhões de deslocados em 2013
  Alemanha: Ex-guarda prisional de Auschwitz acusado de crimes de guerra
  Guiné-Bissau: PR nomeia Biague Na N´tan Chefe de Estado-maior das Forças Armadas
  Guiné-Bissau: Comunidade internacional aplaude exoneração de António Indjai
  Guiné-Bissau: «Reclamar herança de Cabral significa responsabilidade de todos os guineenses»
  Guiné-Bissau: MAI devolve mais de 33 milhões de Francos ao Tesouro Público
  Guiné-Bissau: António Indjai exonerado pelo Presidente da República

Comentários

Nome:

E-mail:

Comentário:


Comentários
  
Duarte  2012-05-25 14:24:41
Embora iligitimo, está a ser justo, ao pedir esclarecimentos sobre o caso 17 de Outubro. Os assassinatos, na Guiné-Bissau, constituem, infelizmente, um processo. Portanto, o problema deve ser abordado como tal. Exigir esclarecimentos sobre a morte de Nino Vieira, ignorando todos outros que que aconteceram antes, significa utilizar injustiça para reivindicar justiça.

Na Guiné-Bissau houve, infelizmente, valas comuns,depois seguiram-se uma série de assassinatos que ninquém compreende. Mas, de uma coisa podemos estar seguros: as pessoas são assassinados com armas de guerra.

Clarificar os assassinados numa ordem baseado nas datas da sua execução fica mais fácil do que começar a fazê-lo dos últimos para os primeiros, porque os implicados nos últimos utilizarão a omissão dos primeros para se defenderem e, teriamos que, obrigatoriamente, voltar para trás.

Se quizermos a justiça, temos que ter força interior suficiente para abordarmos os problemas de forma desapaixonada. Não tentar tapar a realidade com as nossas aspirações.

Senhor presidente da república tem razão que começa por pedir esclarecimentos sobre o caso 17 de Outubro, pois, este aconteceu muito antes daquele que vitimou antigo presidente Nino Vieira.

Eu, só peço ao senhor presidente Nhamajo para não saltar nenhum, até chegar ao último, que ainda aconteceu em pleno periodo eleitoral.


Hospedagem de Sites Low CostJornal Digital Cabinda Digital Luanda Digital Bissau Digital Timor Leste Cabo Verde Maputo Digital
Notícias no seu site Recrutamento Estatuto editorial Ficha técnica Contactos Publicidade Direitos autorais Banners